Curitiba abre as cortinas para a Opereta

Ela não é apenas uma pequena ópera encenada, sendo mais curta e leve e menos extravagante do que as obras tradicionais. A opereta genuína dá um passo a mais ao permitir a coexistência do canto e da fala e ao aproximar o erudito do popular. Precursor da comédia musical, esse gênero de teatro se tornará mais acessível aos curitibanos durante o mês de fevereiro. É quando estreia a montagem “Janaína, não seja boba”, do diretor italiano Roberto Innocente, com música do maestro Alessandro Sangiorgi. Um projeto inusitado que carrega consigo o prêmio do Concurso de Dramaturgia do TCP e o incentivo do PROFICE.

Crédito – Marcela Luz.

Em Curitiba, algumas iniciativas já têm sido desenvolvidas na intenção de aproximar o público da Ópera. Uma delas, em especial, foi responsável por trazer para o Brasil o diretor Roberto Innocente e consolidar a sua parceria com o Maestro Alessandro Sangiorgi. Roberto veio de Pádova para Curitiba em 2005 a convite do Teatro Guaíra para dirigir “La Boheme”. Desde então, esses dois italianos, juntos, já dirigiram no Paraná projetos importantes, como: “La serva padrona” (ação do CCTG), “Livietta e Tracollo” (projeto “Ópera Ilustrada”, na Capela Santa Maria), “L’occasione fa il ladro” (produção da Opera Orchestra Curytiba), entre tantas outras ações de impacto neste segmento.

Crédito – Marcela Luz.

Além dos projetos em comum, os dois parceiros de trabalho carregam como igualdade trajetórias artísticas importantes. O maestro Alessandro Sangiorgi, que por nove anos atuou como regente titular e diretor artístico da Orquestra Sinfônica do Paraná, foi responsável pela ampliação do repertório sinfônico e pelo retorno das montagens de óperas no Centro Cultural Teatro Guaíra. Em 2009, recebeu o reconhecimento do governo italiano por sua trajetória cultural, sendo a ele conferida a Caveliere dell’Ordine della Solidarietá (Comenda da Estrela da Solidariedade Italiana).

Roberto Innocente é daqueles artistas plurais. Ator de teatro e cinema, dramaturgo, diretor, cenógrafo e artista plástico. É especializado em ópera lírica e commedia dell’arte. Na Europa, seguiu os ensinamentos de nomes consagrados, como Dario Fo e Carlo Boso. Na capital paranaense, fundou o grupo Arte da Comédia, do qual é diretor artístico. A companhia já tem mais de dez anos de trajetória marcados por premiações diversas.

Crédito – Marcela Luz.

O espetáculo com estreia em fevereiro, porém, se diferencia de todos os outros projetos que Innocente e Sangiorgi já tocaram em parceria. Innocente explica que, para além da ópera, a opereta é um gênero pouquíssimo difundido no Brasil e, quanto mais, no Paraná. “Nunca Curitiba investiu em uma montagem no estilo. Não é musical e não é ópera lírica. A opereta tem o diferencial de ter a música clássica como norte, mas mergulhar no popular em paralelo. Tanto quem aprecia óperas, quanto quem se identifica com a MPB ou o samba, por exemplo, encontrará referências em ‘Janaína, Não Seja Boba’. No mais, é uma comédia, o que garante muita diversão ao público”, reforça o diretor.

Para Sangiorgi, que já dirigiu musicalmente variadas óperas, o grande diferencial deste projeto foi a composição original. Todas as 27 músicas de “Janaína, Não Seja Boba” são de sua autoria. A inspiração veio de obras famosas na Ópera e de clássicos da música popular, brasileira e italiana. “Há alusões a temas e partes de óperas conhecidas que se misturam a referências do texto. O público vai identificar homenagens a compositores que vão desde Puccini (com referência a La Boheme, por exemplo), Bizet (com Carmen), Rossini (com O Barbeiro de Sevilha) até Camargo Guarnieri, Carlos Gomes e Noel Rosa, entre outros”, explica o maestro.

Para colocar em prática essa empreitada, dez atores foram selecionados a dedo em um processo que incluiu análise de currículos, entrevistas e uma semana de intensa oficina de canto e interpretação. “Temos a honra de ter conseguido montar uma equipe com um belo repertório, são atores com vivência musical, extremamente talentosos, qualificados e repletos de entusiasmo para este projeto”, anima-se Roberto. Entre os atores está Daniel Siwek como um dos protagonistas. Ator e músico de longa data, ele ficou nacionalmente conhecido por sua participação em novelas como “Os Dez Mandamentos” e “Jesus”, ambas da Rede Record.

Crédito – Marcela Luz.

O texto é uma “ópera na ópera” que se passa no Rio de Janeiro, em Angra dos Reis. O protagonista, Maestro Martins, faz anos tenta encenar a sua ópera prima; “Janaina não seja boba”. A sobrinha do Prefeito, Janaina, é apaixonada por Chico, mas o tio não quer que o namoro continue e tem a intenção de mandar Chico embora. Chegam à cidade Francisco e Miranda, cantora do varieté em fuga do Rio para casar contra a vontade do Beto, pai do Francisco. Ele, por sua vez, não quer o filho envolvido com uma artista considerada por ele pessoa indigna. Em meio aos desencontros amorosos, o Malandro da cidade, Thiaguinho, ao mesmo tempo que usa de suas estratégias para fazer uma grande confusão, lança mão de seu jogo de cintura para conduzir a trama a um final feliz – como nas tradicionais comédias. A ópera do Maestro Martins segue a mesma trama do espetáculo e, assim, os dois enredos se misturam e se confundem.

De autoria de Roberto, a dramaturgia foi premiada em concurso do Teatro de Comédia do Paraná sendo publicada na edição 2016 do livro Comédia Paranaense. Agora, com o incentivo do PROFICE (Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura) e o patrocínio da Copel, é que a peça sairá do livro diretamente para o palco do Teatro Barracão EnCena, ficando em cartaz no espaço de 6 de fevereiro a 3 de março, com ingressos a preços populares.

SERVIÇO
Opereta Musical “Janaína, Não Seja Boba”
Data: de 6 de fevereiro a 3 de março
Horários: De quarta a sábado, às 21hs. Domingos, às 19hs.
Valor: R$ 20,00 (inteira) R$ 10,00 (meia-entrada conforme a Lei e para estudantes e
professores de escolas públicas, particulares e escolas de teatro, música e arte).
Venda: Os ingressos já estão à venda na bilheteria do Teatro Barracão EnCena. Informações
sobre o horário de funcionamento da bilheteria em (41) 3223-5517.
Local: Teatro Barracão EnCena
Endereço: Rua Treze de Maio, 160 – Centro | Curitiba-PR

Ficha Técnica
Produção e Direção Cênica: Roberto Innocente
Música (original) e Direção Musical: Maestro Alessandro Sangiorgi
Livreto (original): Roberto Innocente
Cenário: Bira Paes e Roberto Innocente
Construção Cenário: Bira Paes e Equipe
Figurino: Sandra Francisca Canonico
Pianista (execução ao vivo) e Assistente de Direção Musical: Matheus Alborghetti
Maquiagem: Marcelino de Miranda
Iluminação: Clever D Freitas
Elenco: Joseane Berenda, Renet Lyon, Mariá Sallum, Daniel Siwek, Tarciso Fialho, Tiago Luz,
Paulo Marques, Luana Godin, Monica Bezerra, Gideão Ferreira
Estagiária de Direção: Luna Madsen
Programação Visual: Douglas Borba e Bruna Capraro
Apoios: Teatro Barracão EnCena, Grupo Arte da Comédia/Art Brazilian Comedy, Misse Marià
Comidaearte, Padaria America, Opera Orchestra Curytiba, Swiss-Terra da Batata