Brigadeiro de crème brûlée: dois clássicos na mesma receita

Já faz tempo que o docinho mais esperado das festas de crianças deixou a simplicidade das forminhas de papel e ganhou como ornamento embalagens com tecidos coloridos, panelinhas, potinhos, caixas e marmitinhas. O protagonista da mesa de doces virou até uma forma de presentear as pessoas especiais, por ter um valor sentimental, com gostinho de infância. Mas a sofisticação não se resume à aparência: a receita 100% brasileira também ganhou ingredientes especiais, que transformaram o brigadeiro em uma iguaria que remete até à gastronomia internacional.

Crédito – Divulgação.

Você já imaginou um dos nossos doces mais populares combinado com um sabor tradicional da França? O chefe e proprietário da Doce Miúdo, Willian Moneda, criou o brigadeiro de Crème Brûlée, que traz o gostinho de baunilha e a cobertura de caramelo, tipicamente francesas. A releitura da sobremesa clássica em forma de brigadeiro é um encontro perfeito entre as texturas cremosa e crocante, que certamente iria para a lista de Amélie Poulain, que elencava os pequenos gestos que tornam à vida dos seres humanos mais feliz. No filme O Fabuloso Destino de Amélie Poulain, de 2002, a personagem adora quebrar a cobertura do Crème Brûlée com uma colher. E foi a obra cinematográfica que ajudou a disseminar o gosto pela sobremesa francesa pelo mundo.

Culinária americana também serve de inspiração
Mas o brigadeiro de Crème Brûlée não é sabor mais inusitado da Doce Miúdo. As combinações de sabor doce e salgado no mesmo prato, que fazem parte da cultura dos americanos, também cabem nas receitas de brigadeiro da Doce Miúdo. O quitute feito com bacon e goiabada agrada os paladares que apreciam o toque agridoce na culinária. “A mistura desses dois ingredientes é uma alquimia perfeita. O brigadeiro de bacon com goiabada é uma de prova que, na gastronomia, os opostos se atraem”, conta Willian.

Na mesma toada, surgiu mais uma receita na Doce Miúdo: a bala de brigadeiro de caramelo com flor de sal. A combinação que antes encantava os chefs franceses e americanos se popularizou. O raio gourmetizador atingiu as cozinhas do mundo todo e também chegou ao Brasil, transformando receitas bem básicas em algo bem sofisticado. Na Doce Miúdo, o caramelo e a flor de sal viraram sabor de brigadeiro e agradam os paladares mais exigentes. “A textura crocante provoca uma explosão de sabores e remete à alta gastronomia. A flor de sal é uma especiaria que ressalta o sabor dos demais ingredientes numa receita e dá um toque de sofisticação até para alimentos triviais”, diz Willian.
Dos Estados Unidos veio também à inspiração para o brigadeiro de cheesecake, um clássico nova-iorquino. A cremosidade do cream cheese, uma característica marcante presente no doce americano, também torna o brigadeiro ainda mais especial. Vale a pena experimentar.

A gourmetização do brigadeiro
O chocolate belga foi o precursor da onda de gourmetização de um dos doces mais populares do Brasil. Na Doce Miúdo, a versão de chocolate belga é o carro-chefe por ser a preferida do público. “O chocolate puro, de alta qualidade, proporciona um sabor incomparável e não deixa o doce açucarar”, conta Willian.

Um dos diferenciais dos doces confeccionados na Doce Miúdo é o toque caseiro da receita, que tem como base o leite condensado e o creme de leite. “Os produtos são sempre fresquinhos e cada um deles é enrolado na mão. Nossos brigadeiros são doces, macios e derretem na boca”, destaca.
E para os fãs incondicionais do quitute a Doce Miúdo acaba de lançar mais um sabor, brasileiríssimo: o brigadeiro de milho verde. “O cereal, que é o mais consumido no mundo, é muito versátil. É utilizado em larga escala na culinária brasileira em diversas ocasiões: é consumido na praia e é estrela de receitas como a pamonha. Por dar sabor e textura para os preparos, enaltece ainda mais o sabor do brigadeiro”, comenta Willian.

Aliás, qualquer ingrediente pode se tornar protagonista na companhia do leite condensado e do creme de leite na Doce Miúdo: inclusive o gengibre. A raiz tem um gosto peculiar e os fãs de sabores exóticos vão se apaixonar pelo sabor do brigadeiro de gengibre.

As especiarias dão um toque especial para preparos doces e salgados e a prova definitiva de que combinam com tudo é a receita de brigadeiro de pão mel. “Essa versão é única. É completamente diferente de todas as outras, embora a base seja a mesma. A união das especiarias dá um toque de profunda magia e mistério que, unidas com o chocolate, tornam o sabor e o cheiro do brigadeiro de pão de mel inconfundível”, completa Willian.

Você sabe como surgiu o brigadeiro?
Comida e política combinam? Combinam, sim senhor. E foi desse encontro que surgiu o nosso brigadeiro. Para arrecadar verbas para a campanha presidencial do brigadeiro Eduardo Gomes, em 1945, as eleitoras começaram a fazer os docinhos de chocolate para trocar por doações e ajudar o candidato – que tinha fama de galã com as moçoilas por ser bonito e solteiro.

Chamado de brigadeiro como uma forma e se referir ao político, o doce se popularizou nas festas da época, mas o mesmo não aconteceu com o aspirante a presidente, que perdeu para Eurico Gaspar Dutra. Outros dizem que o “negrinho”, como é conhecido em algumas partes do Brasil, foi dado para Eduardo por uma senhora mineira, que queria agradar o militar e, no final, acabou conquistando muito gente – eleitores ou não do candidato.

Serviço:
Doce Miúdo
Endereço: Vila Urbana (Marechal Deodoro, 686).