Suzana Lobo inaugura exposição inspirada no tempo

Suzana Lobo inaugura no dia 7 de novembro, quinta-feira, às 20 horas, a exposição “O Tempo não para”. São cerca de 20 obras de sua produção recente, inspiradas na temática do tempo a partir da poesia de Mário Quintana. A mostra permanece aberta ao público até 30 de novembro.

Com uma carreira produtiva de mais de cinco décadas, Suzana Lobo tem uma obra consistente e de pequena produção. “Pinto verdades e não há verdades novas para serem ditas todos os dias”, explica. A artista, com trabalhos em alguns dos principais acervos brasileiros e internacionais e inúmeras premiações, costuma dizer que gosta de registrar o que a emociona.

Suas fases são bem caracterizadas e retratam com grande sensibilidade personagens vistos sob o olhar feminino e crítico da artista.  “A minha pintura é o que eu faço, a minha pintura sou eu”, diz. Há algum tempo sem expor, esta mostra mais uma vez explora as contradições, conflitos do ser humano com seu meio e a ambiguidade da mulher em diversos aspectos. A pureza das cores e traços evidenciam um momento extremamente rico da artista.

“Suzana Lobo engaja-se à vivência curitibana. […] De repente, também a atmosfera curitibana começa a invadir as cores. Em vez das gritantes e quentes cores cariocas, começam a acontecer os roxos, os turquesas, os verdes e rosas, transpirando e respirando a essência de nosso clima físico e mental”, comentou a crítica de arte Adalice Araujo (Ponta Grossa, 18 de setembro de 1931 – Curitiba, 8 de outubro de 2012) analisando a produção curitibana de Suzana em contraponto com o trabalho anterior da artista, no Rio de Janeiro.

Suzana Lobo

Crédito – Divulgação.

Suzana Lobo iniciou sua carreira artística no Rio de Janeiro, em 1965. Formada pelo Instituto de Belas Artes do Rio de Janeiro, recebeu orientação de Iberê Camargo, Ivan Serpa e Manoel Santiago no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Já realizou inúmeras exposições individuais e coletivas tanto no Brasil como no exterior. Possui premiações em salões oficiais, e suas obras integram o acervo do Museu Oscar Niemeyer, Museu de Arte Contemporânea de Curitiba, Museu Municipal de Arte e Museu Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro, além de coleções particulares. Suzana Lobo é verbete no “Dicionário de Artes Plásticas no Brasil”, de Roberto Pontual; “Dicionário do Ministério de Educação e Cultura” e no “Dicionário de Pintores Brasileiros”, de Walmir Ayala.

 

Serviço:

Exposição “O Tempo não para”

Data de abertura: 7 de novembro de 2019, às 20 horas

Exposição: até 30 de novembro/2019

Local: Museu Guido Viaro, Rua XV de Novembro, nº 1348, Centro, Curitiba

Horário de visitação: terça a sábado, das 14 às 18 horas

Telefone: 30186194

Entrada franca