Banda de mulheres paraenses revisita clássicos do forró

A CAIXA Cultural Curitiba recebe, de 29 de novembro a 1.º de dezembro, a banda Severinas, que faz sua primeira apresentação fora de seu estado, o Pará. Com o apoio do Selo Alter do Som, iniciativa do Espaço Alter do Chão, que promove o fortalecimento e divulgação de artistas do Oeste do Pará, o grupo feminino chega trazendo na bagagem muito baião, xote, xaxado, resistência e a força do poder feminino. O repertório é formado por clássicos do forró pé serra, que ganham outra intensidade nas vozes femininas.

Crédito – Daniel Gutierrez.

Alter do Chão, no estado do Pará, um pequeno paraíso no coração da Amazônia, foi onde tudo começou, quando seis mulheres se encontraram. Nascidas e criadas em um mundo masculino, o desejo de romper com toda a forma de opressão, violência e injustiças cometidas contra as mulheres virou música. Vindas de diversas realidades e campos de atuação, elas tinham um mesmo objetivo: transformar suas angústias em arte e criar uma rede de afeto e suporte feminino.

No início de 2017, Aloyana, Hellen, Letícia, Mariana, Teresa, Tula começaram a se encontrar constantemente para fazer música de forma despretensiosa e se fortalecer enquanto mulheres. O ritmo escolhido foi o forró pé de serra e logo as Severinas ficaram conhecidas na região, apresentando-se em diversas praças, festas, casas de show e manifestações populares.

Aloyana explica que elas escolheram clássicos cantados em vozes masculinas para poder transmutar o machismo presente em muitas letras de forró. “Facilita, por exemplo, cantada por homem soa muito machista, né? Mas quando a gente canta soa completamente libertadora. Isso é legal para mostrar que a gente pode olhar com outros olhos esse mundo musical e tantas vezes machista, trazer um pouco do nosso ar, da nossa feminilidade”, diz. “Esse é o nosso tempero, nós mesmas. Nosso tempero é sermos nós mesmas, nossa presença, nossa força de mulheres no palco”, finaliza.

Serviço
Música: Severinas
Local: CAIXA Cultural Curitiba – Rua Conselheiro Laurindo, 280 – Centro
Data: de 29 de novembro a 1º de dezembro
Horário: sexta e sábado às 20h e domingo às 19h
Ingressos: R$30 e R$15 (meia – entrada conforme legislação e correntistas que pagarem com cartão de débito CAIXA). A compra pode ser feita com o cartão vale-cultura.
Bilheteria: (41) 2118-5111 (De terça a sábado das 12h às 20h. Domingo das 16h às 19h)
Duração: 90 minutos
Classificação: Livre
Capacidade: 125 lugares (2 para cadeirantes)

Repertório:
– Aí que saudade d’ocê – Geraldo Azevedo
– Alma não tem cor – André Abujamra
– Anunciação – Alceu Valença
– Asa Branca – Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira
– Baião – Luiz Gonzaga
– Baião da Penha – Luiz Gonzaga
– Cartomante – Pé de Mulambo
– Coroné Antônio Bento – João do Vale e Luiz Wanderley
– É proibido cochilar – Antônio Barros
– Facilita – Luiz Gonzaga
– Feira de Mangaio Glorinha Gandelha e Sivuca
– Homem com H – Antônio Barros
– Homem de saia – Trio Nordestino
– Mama África – Chico César
– Maré – Comadre Fulozinha
– Mulher Rendeira – Lampião
– Paraíba – Luiz Gonzaga
– Pipoca moderna Caetano Veloso
– Vem morena Luiz Gonzaga
– Vovó não quer Rita Benneditto
– Xique Xique Tom Zé
– Xote Ecológico Luiz Gonzaga