Festival Plá celebra a arte de rua nas Ruínas do São Francisco

O mais célebre artista de rua de Curitiba é o anfitrião do Festival Plá – A Rua XV Se Encontra Nas Ruínas de São Francisco, evento que acontece no próximo dia 22 de março, das 09h às 17h. A mostra de arte de rua é gratuita e faz parte das festividades do aniversário de 327 anos de Curitiba. O festival será dividido em dois palcos no centro histórico da cidade nos quais vão se apresentar 14 atrações, entre artistas de rua e convidados. O palco principal é o das Ruínas de São Francisco onde o músico Plá abre o evento na manhã do domingo. O segundo palco será instalado em frente ao Belvedere, na praça João Cândido.

Crédito – Germano Strazzi.

Músicos de estilos diferentes estão escalados para a festival como Davi Henn e sua monobanda, a dupla sertaneja Wiliam e Renan e os steampunks Barões de Curitiba. Completam o elenco os compositores Michele Mabelle, Diego Raimundo, Marx Cruz e Beer. Entre os convidados especiais: a banda Renegados do Folk, a Kilânio – Orquestra de Violões e guitarrista da Relespública, Fábio Elias.
Para abrilhantar o festival, a dupla de artistas circenses Marina Prado e Fábio Salgueiro prepara um espetáculo com palhaços, malabarismo e sorrisos que vai agradar a todos os públicos. Ícones da arte de rua centro de Curitiba como o Homem-Aranha da Rua XV e o palhaço e mímico Chameguinho farão performances durante o festival e nos intervalos das atrações. Por fim, será encenada a peça teatral Homenagem Gibran Khalil Gibran, escrita e dirigida por Jota Eme.

Crédito – Germano Strazzi.

Da Rua XV às Ruínas
Curador do festival, o produtor cultural Pedro Hey Branco explica que foram convidados os artistas de rua com “maior expressividade artística e notoriedade de público que trabalham diariamente na Rua XV de Novembro e alguns convidados especiais que também têm projetos artísticos populares voltados para apresentações na rua”.

O Festival Plá – A Rua XV Se Encontra nas Ruínas do São Francisco é realizado com recursos do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura da Fundação Cultural de Curitiba (FCC). https://www.facebook.com/plafestival

SERVIÇO
Festival Plá – A Rua XV Se Encontra nas Ruínas do São Francisco
Classificação – Livre
Horário: 09h às 17h
Local: Ruínas do São Francisco e Praça João Cândido
Entrada: gratuita

PERSONAGEM

Plá é o herói do underground a céu aberto da Rua XV

Por Sandro Moser

Se há um herói na arte urbana de Curitiba, ele usa bata, sandália e se movimenta de bicicleta. O músico, poeta e artista visual Plá não é só o decano dos artistas que usam as ruas de Curitiba como palco. Onipresente, circula pela cidade com seu violão às costas levando a mensagem filosófico-libertária de sua poesia. Todos os dias, Plá dá rosto e voz à luta dos artistas que trabalham nas ruas da cidade.

Crédito – Maringas Maciel.

Muitas vezes, contra o mau humor de pessoas e instituições que talvez não lembrem que é a arte que protege a rua XV desde sempre. No festival que leva seu nome, Plá irá receber artistas que como ele usam como palco principal a Rua XV. Proscênio underground a céu aberto, o calçadão da XV é cenário para milhares de cantores, bandas, instrumentistas, repentistas, estátuas-vivas, acrobatas, contorcionistas, mágicos, palhaços, dançarinos e atores, sozinhos ou em grupo mostrarem seu trabalho.

Crédito – Fabiano Vianna.

Sobre o chão de pedras portuguesas artesãos, escultores, desenhistas, fotógrafos, pintores, caricaturistas, mímicos já colocaram de pé a sua arte todos os dias. Neste contexto, o heroísmo de Plá nasce do exemplo. Nas últimas quatro décadas, sua trajetória inspira gerações de criadores a exercerem seu direito fundamental de trabalhar nas ruas da cidade. “O teu exemplo mostra para as pessoas que elas também podem”, disse.

Plá, o ex-bancário que virou menestrel

O músico nascido no sul de Santa Catarina, chegou em Curitiba em 1976. Precisou trabalhar como bancário por três anos para poder concluir curso de Licenciatura Plena em Música, na Faculdade de Artes do Paraná, no início dos anos 80. Desde então, vive de sua arte. Já lançou mais de 61 álbuns e compôs milhares de canções. O mercado financeiro perdeu um “carimbador maluco” e a cidade ganhou um menestrel libertário para chamar de seu.

Em 2018, Plá recebeu o título de Cidadão Honorário de Curitiba. No ano passado, foi tema do documentário ‘Plá Rock o Filme’ dirigido por GG Valentino. Em 2020, o Festival Plá – Mostra de Arte de Rua fecha um ciclo de reconhecimento de sua carreira invulgar.  Além de promover o intercâmbio cultural entre sociedade, poder público e artistas, o Festival celebra a expressão inclusiva de cultura popular da qual Plá é símbolo. Como ele mesmo costuma dizer: “Meu palco maior é a rua. É onde as coisas acontecem e o público são todas as pessoas, crianças, adultos, ricos e pobres. Todo mundo”.