Startup Laura doa inteligência artificial para ajudar prefeitura a identificar pacientes de COVID-19

A startup Laura doou à Prefeitura de Curitiba uma plataforma de inteligência artificial que vai ajudar o município na identificação e tratamento de casos de COVID-19. O prefeito de Curitiba, Rafael Greca, o presidente do Instituto Laura Fressatto, Jacson Fressatto, e o CEO da startup Laura, Cristian Rocha, anunciaram nesta terça-feira (28) que a ferramenta de combate à pandemia será usada de forma inédita na administração pública: a capital do Paraná é a primeira do mundo a se beneficiar da inovação. A inteligência artificial faz a triagem digital de pacientes, esclarece dúvidas e orienta o atendimento médico em casos suspeitos. A inteligência artificial já está funcionando por WhatsApp e pelo sites da prefeitura e da Secretaria Municipal de Saúde de Curitiba.

A plataforma tem a interface de uma conversa digital. O usuário realiza a triagem online e tira dúvidas sobre a doença sem sair de casa. De acordo com as respostas coletadas, o sistema alerta sobre sintomas graves, identifica casos suspeitos de COVID-19 e orienta pacientes que devem procurar atendimento médico. Integrado com o sistema da prefeitura, a ferramenta também encaminha os pacientes para central de teleconsulta que está sendo usada pelo município no combate ao novo coronavírus. Desenvolvida por curitibanos, a solução inovadora passa a integrar o Sistema de Inteligência da Saúde (Sisa). “No Vale do Pinhão, em Curitiba, a tecnologia servirá à medicina e à saúde; eu anuncio a inovação, anuncio um sistema de inteligência na saúde”, comemorou o prefeito Rafael Greca. Os pacientes atendidos virtualmente serão monitorados por 15 dias. Os procedimentos seguem parâmetros estabelecidos pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e Ministério da Saúde.

Desde o início da pandemia, a Laura busca oferecer soluções de triagem e previsão da demanda de atendimento de pacientes com suspeita de COVID-19. “Com o atendimento digital, os pacientes podem realizar a triagem sem sair de casa. É mais segurança à população e mais eficiência à saúde pública, que poderá disponibilizar o acompanhamento remoto para os pacientes”, explica Cristian Rocha, CEO da Laura. Ele destaca que o recurso vai trazer ainda mais eficiência ao sistema de saúde pública da cidade, já reconhecido por sua organização. “A grande vantagem é a inteligência que está por trás e o monitoramento que vai ser feito a partir das informações dos pacientes. A Laura vai monitorar dia após dia esse paciente e vai identificar como ele progride; assim, a equipe de saúde vai ter mais material para lidar com os riscos”, completa.

Em quase um mês de funcionamento, a plataforma já realizou mais de 1400 atendimentos online. Hoje, o P.A. Digital funciona – além da Prefeitura de Curitiba – nos hospitais A.C. Camargo, Alemão Oswaldo Cruz, Lifecenter, Hospital das Forças Armadas, Santa Casa de Londrina e Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre.

Como funciona
A população poderá passar pela triagem on-line de suspeita de COVID-19 através da Central de Relacionamento da Prefeitura no WhatsApp (41-9876-2903) ou pelo site da Secretaria Municipal de Saúde http://www.saude.curitiba.pr.gov.br/ e da Prefeitura de Curitiba https://www.curitiba.pr.gov.br/. A tecnologia funciona como assistente virtual que se comunica e interage com as pessoas através de uma interface conversacional.

Tecnologia para salvar vidas
O Robô Laura é uma tecnologia implantada em instituições de saúde para identificação precoce dos riscos de deterioração clínica. Por meio de inteligência artificial e tecnologia cognitiva, faz o gerenciamento de dados da rotina hospitalar e emite alertas para a equipe assistencial, o que melhora a capacidade preditiva, com previsões mais estáveis. Ativa desde 2016, o Robô já analisou cerca de 2,5 milhões de atendimentos e reduziu em 25% a taxa de mortalidade hospitalar. Além de ajudar a salvar 12 vidas por dia, é um instrumento para otimização de tempo e recursos em saúde.