2o ciclo da exposição Afetos Urbanos e Cidades Possíveis chega ao projeto Vale da Música

O Ciclo de Exposições Afetos Urbanos e Cidades Possíveis, que teve início em outubro de 2021 no segundo andar do teatro Ópera de Arame, inicia sua segunda fase a partir do dia 26. Nesta nova etapa do projeto chamada de Linhas, Apropriações e Imaginação Digital, dez artistas curitibanos reunirão obras que buscam as relações entre o analógico e o digital, trabalhando o conceito das linhas dos desenhos, colagem, performance e imagem digital. “A ideia é mostrar de que forma os lugares que habitamos são experienciados de maneiras subjetivas, em torno de relações afetivas e tentativas de transformá-los em nossos lares, usando e abusando da relação entre os mundos analógicos e digital”, conta a curadora do projeto, Milena Costa.

Crédito – Divulgação.

Entre os artistas que participam do segundo Ciclo estão Matheus Veloso, Aricia Machado, Jessica Luz, Cintia Ribas, Leandro Catapam, Ketty Kesy, Guadalupe Presas, Eliana Brasil, Adrian Cissé e Maria Baptista. “A ideia do Ciclo como um todo é mostrar de que maneira a produção artística contemporânea local vem se relacionando com a cidade e, com isso, oferecer à cidade a oportunidade de valorizar artistas locais”, conta Gabriella Leão, gerente de marketing da Ópera de Arame.

A mostra estará exposta em frente aos camarotes da Ópera de Arame, no segundo andar, e fica disponível para visitação durante todo o funcionamento do projeto Vale da Música, de terça a domingo, das 10h às 18h. A expectativa é que este segundo ciclo fique em exposição até o mês de setembro, aumentando as chances dos visitantes conhecerem as obras.
Ainda, para os amantes de artes, vale aquela esticadinha até o palco da Ópera para conhecer a exposição “Do Ritmo ao Algoritmo”, que reúne 15 painéis gigantes criados por três artistas curitibanos e que recontam a história da música no mundo. “Cada vez mais queremos que as pessoas que venham até a Ópera respirem e consumam arte. Este é o nosso propósito maior, movimentar a cena cultural da cidade, tanto para os criadores, produtores, idealizadores, quanto para o público, que precisa de conteúdo artístico e cultural de qualidade”, explica Gabriella.

Ciclo de Exposições
O Ciclo de Exposições Afetos Urbanos e Cidades Possíveis teve início em 2021 e vem oferecendo ao público três mostras coletivas, cada uma com quatro meses de duração e que reúne diversos artistas locais que mostrarão a cidade de Curitiba sob o olhar da produção jovem e contemporânea expressos na fotografia, na arte digital e na arte urbana.

A primeira fase do Ciclo, “Afetividades fotográficas nas Curitibas possíveis”, reuniu dez artistas que trouxeram a fotografia para retratar a cidade por meio das suas experiências cotidianas, entre eles: Anderson Angélico, Gio Soifer, Giorgia Prates, Isabella Lanave, Lucas Pontes, Maurício Savrassoff, Pedro Vieira, Pretícia Jerônimo, Ricardo Perini e Tárcilo Pereira.

Serviço:
Ciclo de Exposições Afetos Urbanos e Cidades Possíveis
Funcionamento: de terça a domingo, das 10h às 18h
Data: a partir de 26/04
Valor para entrada no Vale da Música: R$ 15,00 inteira e R$ 7,50 meia-entrada. O benefício é válido para pessoas que estejam dentro da lei da meia-entrada, crianças de até 12 anos e para moradores de Curitiba e região metropolitana, que precisam levar um comprovante de residência para obter o desconto.
Endereço: Rua João Gava, 970 – Abranches.