Violonista e compositor Julio Borba promove show do novo álbum “Dois Irmãos”

Com o intuito de unir as essências musicais do Brasil e do Paraguai por meio do violão de sete cordas, o músico Julio Borba se prepara para lançar o seu novo álbum, intitulado “Dois Irmãos”, cujo show de lançamento ocorre no dia 7 de maio, às 20h, no Expresso Curitiba Hostel, localizado na Rua Alfredo Bufren, bairro Centro, em Curitiba. Os ingressos para a apresentação estão à venda com valores que vão de R$10 (meia-entrada + taxa adm) a R$20 (inteira + taxa adm) e podem ser adquiridos pelo Sympla.

“O projeto inédito leva esse nome pois traz a influência direta da paternidade. Me tornei pai de gêmeos há pouco tempo e muita coisa muda depois que nos tornamos responsáveis por outras vidas. É isso que quero apresentar neste álbum, uma nova visão, uma musicalidade dupla que une um pouco da musicalidade brasileira e paraguaia, países que, apesar da proximidade, possuem traços culturais bem distintos”, comenta o músico e pesquisador Julio Borba.

Crédito – Letícia F.

Original de Mato Grosso do Sul, Borba se utiliza da música para transparecer sua vivência, história e influências, fazendo o uso do violão de sete cordas como seu fiel companheiro, e apostando na experimentação da polca paraguaia com elementos da música brasileira. “’Dois Irmãos’ une várias características da música brasileira, como o choro, o samba e a bossa, assim como elementos afro-brasileiros, como do candomblé, com o ritmo paraguaio, criando uma brincadeira rítmica e que resulta em um repertório de expressão dentro do violão de sete cordas”, explica.

Julio Borba é pesquisador de Etnomusicologia pela Univesidade Federal do Paraná e conta com formação musical na linha clássica, com ampla experiência em conservatório, mas, suas vivências, bem como uma nova visão do mundo, o qual resgata desde sua fase no Mato Grosso do Sul até chegar aos momentos atuais em Curitiba, são transportadas para o novo álbum que é composto por 10 músicas. Na primeira faixa está “Chuva lá Fora”, uma das parcerias com Santiago Beis, que apresenta de forma clara essa mistura de ritmos estudada pelo músico e que, na letra, trascreve o momento da chegada do “sol e da alegria”, após a passagem da chuva. Já na faixa dois, que dá nome ao disco, “Dois Irmãos”, em um trabalho que homenageia sua fase como pai de gêmeos, mas que também faz uma analogia aos ritmos tradicionais dos dois países, Brasil e Paraguai, que são nações irmãs. Na faixa três, o trabalho “Polca para os Meninos”, que conta com a participação em voz de Marcelo Dias.

Na quarta música, “Águas Finais”, que acompanha fortemente o acordeon por André Ribas, percuteria de Vina Lacerda e o baixo elétrico Fretless de Sandro Guaraná. Na faixa cinco, a produção “Expresso Boqueirão”, inspirada em suas observações e reflexões junto dos trilhos presentes na região de um dos principais bairros de Curitiba e que homenageia a cidade que tanto o acolheu dentro da música. Na sexta composição está “Quando a Polca Torce o Rabo”, com arranjos em parceria com o música Ivan Cruz, junto de seus violões de 7 cordas. Na sétima gravação do disco está “Bossa da Saudade”, que também conta com vocal de Marcelo Dias e contextualiza a influência do ritmo brasileiro em sua formação, além da saudade de um amor. Na oitava faixa está “Cantando o Baixo” que, além do violão de sete cordas por Julio Borba e Lucas Melo, da suavidade da flauta por Leandro Gaertner, traz a brasilidade do pandeiro por Vina Lacerda e do Cavaco, por Julião Boêmio.

Nas últimas duas faixas estão “Fica Aqui”, música com presença de clarinete por Victor Gabriel Castro, que configura bastante a importância da paternidade e da relação ininterrupta entre pais e filhos; e “Rio Abaixo”, que finaliza em uma produção do músico com seu violão de 7 cordas.

De todas, duas músicas de trabalho foram selecionadas para serem o carro-chefe do projeto, sendo “Dois Irmãos” e “Expresso Boqueirão”. Para quem acompanha o novo trabalho de Julio Borba, fica evidente a presença do Mato Grosso do Sul e do Paraná não só nas composições e musicalidades apresentadas por ele, mas ainda a própria cultura dessas duas regiões.

O álbum “Dois Irmãos” de Julio Borba foi gravado em Curitiba, no estúdio Gramofone, e tem produção executiva de Felipe Novachinski e produção musical de João Egashira. O projeto é realizado com o apoio do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura, da Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba, com incentivo do Pátio Batel, da Baggio Imóveis, da Cibraco Imóveis e da Imobiliária 2000. Acompanhe os trabalhos e as novidades de Julio Borba por meio do Facebook @julioborbachamame, pelo Instagram @julioborbaoficial, pelo youtube/JulioBorba7cordas, além das plataformas musicais como Spotify, Deezer, entre outras.

 

Ficha Técnica:
Produção Executiva: Felipe Novachinski
Produção Musical: João Egashira
Arranjos: Julio Borba
Arranjo (Chuva lá Fora): Julio Borba e Santiago Beis
Arranjo (quando a Polca Torce o Rabo): Julio Borba e Ivan Cruz
Técnico de Gravação: Vitor Pinheiro
Técnico de Gravação (Quando a Polca Torce o Rabo): Anderson Rocha
Edição: Vitor Pinheiro
Edição (Quando a Polca Torce o Rabo): Anderson Rocha
Edição (Cuva Lá Fora): Santiago Beis
Mixagem: Gustavo Sanches
Masterização: Vitor Pinheiro

Show de lançamento do álbum “Dois Irmãos”, de Julio Borba
Data: 7 de maio
Horário: 20h
Local: Expresso Curitiba Hostel (Rua Alfredo Bufren, 323 – Centro – Curitiba)
Ingressos: R$10 a R$20 + taxa adm. Disponíveis pelo Sympla