Mamute, festival de artes gráficas, volta a ocupar as ruas de Curitiba

A feira mais legal da cidade está de volta às ruas de Curitiba, depois de uma grande pausa por conta da pandemia. Com uma programação cultural e festiva, reunindo arte gráfica, música e literatura, a Mamute volta para sua quarta edição em um espaço novo: o festival irá ocupar o estacionamento da Câmara Municipal de Curitiba, espalhando-se pela rua em frente e pela Praça Eufrásio Correia. O evento, que é uma celebração às artes gráficas e à expressão artística, acontece no dia 5 de novembro.

Crédito – Amanda Lavorato.

Com a proposta de ocupar a cidade com a promoção de experiências culturais significativas, a Mamute busca ressignificar espaços da cidade, ampliar as possibilidades de encontro entre as pessoas e celebrar a arte do nosso tempo. A festa ao ar livre é composta por show musical, discotecagem, oficinas para crianças, espaços de convivência e uma ampla feira autoral e criativa com diferentes propostas artísticas – na qual o público pode, além de conhecer e conversar com os criadores, comprar obras, livros, objetos e produtos artesanais, autorais e de tiragem limitada.

A Mamute tem como proposta celebrar aproximar o público do artista, isto é, promover o encontro e a conversa entre essas duas pontas. A feira reúne representantes do universo da produção autoral de editoras, coletivos e artistas independentes em torno da experimentação gráfico-visual. Estarão reunidos em Curitiba expositores de mais de 14 cidades diferentes de estados como o Paraná, São Paulo, Santa Catarina e até Amazonas.

Crédito – Amanda Lavorato.

A novidade é que metade dos expositores de 2022 estão na feira pela primeira vez. “A quantidade de novos artistas e pessoas que se descobriram criadores de algo nos últimos dois anos é um resultado criativo surpreendente pós pandemia. Vamos ver na Mamute a produção de um tempo ímpar na nossa história”, diz Flavia Milbratz, uma das idealizadoras e diretoras do projeto. Os relatos recebidos pela organização são muitos: desde pessoas que encontraram na arte um caminho de expressão para manter o equilíbrio e a sanidade, como aqueles que se reconectaram com a expressão artística e os fazeres manuais nesse período. “Em um cenário onde somente o que era necessário permaneceu, a arte sempre esteve presente e existe aí uma mensagem para nós”, completa Milbratz.

A feira reúne trabalhos para todos os gostos e bolsos, em diferentes formatos e temáticas: gravuras, ilustrações, arte digital, fotografia, literatura, moda autoral, adesivos, quadrinhos, prints, camisetas, porcelana, acessórios, decoração e outras expressões. Além disso, a Mamute mais uma vez terá um espaço para gravar arte na pele: flashs de tatuagem, com um grupo diverso de tatuadores estarão na feira para quem busca uma marca artística mais duradoura. “Nosso objetivo é promover o encontro e a troca entre as pessoas, em um momento em que estamos cada vez mais segmentados e distantes. Acreditamos que é preciso celebrar o que nos une – e a arte tem um papel essencial nesse trabalho”, complementa Ana Hupfer, também idealizadora e diretora do projeto.

Crédito – Amanda Lavorato.

Além de todo talento reunido na feira, a Mamute terá uma programação intensa durante o dia todo: discotecagem, shows de música, mostras de processo e práticas gráficas para todas as idades. O público poderá assistir artistas produzindo obras durante a feira e participar de ações interativas, inclusive levando um cartaz exclusivo da Mamute impresso na hora para casa. A festa fica completa por uma praça de alimentação, com diferentes opções de gastronomia, espaços de convivência pela praça, e o bar exclusivo da cervejaria curitibana Xamã.

A MAMUTINHA – Para os pequenos, a Mamute também terá uma programação especial. O festival montará o seu tradicional ateliê de experimentações gráficas para crianças, no qual os pequenos poderão conhecer e experimentar várias técnicas artísticas, como carimbos, serigrafia, gravuras, stencils e muito mais. O espaço também contará com um grande mural a ser pintado de forma coletiva pelas crianças.

Crédito – Amanda Lavorato.

Além disso, teremos contações de história com o Coletivo Era Uma Vez, que também estará presente na feira com seus escritores e ilustradores vendendo livros infantis e ilustrações voltadas para as crianças. A Mamutinha foi concebida com o objetivo principal de despertar e incentivar o interesse do público infantil pelas linguagens artísticas, colaborando com o estímulo de seu repertório visual, sensibilidade estética e capacidade criativa.

LAB MMT – Um dos propósitos que guiam a Mamute é promover o encontro e a troca entre os artistas da cidade. Diferentes gerações, linguagens e estilos em um mesmo espaço em que a criatividade é o pulso. Pensando nisso, foi criado o primeiro LAB MMT: um laboratório de experimentação gráfica para jovens artistas que começaram a dar os primeiros passos em sua criação autoral. O projeto selecionou 20 jovens e, de forma gratuita, ofereceu um espaço de formação, intercâmbio e prática artística para jovens de de Curitiba e RM. O processo intenso de formação e prática foi realizado no Solar do Barão, com apoio da Fundação Cultural de Curitiba, de agosto até outubro. O resultado deste processo o público poderá conferir no festival: os jovens artistas vão expor seus trabalhos em um espaço especial dentro da feira em novembro.

REALIZAÇÃO – A 4ª edição da Mamute Feira Gráfica é viabilizada por meio do Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura, o PROFICE, da Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura, do Governo do Estado do Paraná; com patrocínio da Copel e realização da Gloriosa Produção Cultural. O projeto também recebeu apoio da Câmara Municipal de Curitiba e da Fundação Cultural de Curitiba.

Crédito – Hay Ramos.

HISTÓRICO – A Mamute Feira Gráfica foi idealizada por Ana Hupfer e Flavia Milbratz e tem até hoje sua produção coordenada exclusivamente por mulheres. Foram realizadas até aqui 03 edições da Mamute – além de 03 edições de bolso, em parceria com outros projetos culturais da cidade – de forma independente. As duas primeiras edições foram realizadas fechando a Avenida Julia da Costa, ocupando a Casa 102 e espaços ao redor. Já na terceira, a Mamute aconteceu no estacionamento da Fundação Cultural de Curitiba. Em cada edição, uma média de 120 iniciativas artísticas fizeram parte da feira e a programação musical e para a infância sempre marcaram presença. Ao todo, a organização estima que em cada edição mais de 5 mil pessoas passaram pelo evento.

Serviço:
MAMUTE, a Feira Gráfica de rua | edição #4
Feira gráfica–literária–artesanal–autoral
Quando? 05 de novembro de 2022, das 11h às 20h
Quanto? Entrada gratuita
Onde? Estacionamento da Câmara Municipal de Curitiba
Praça Eufrásio Correia, Centro

Mais informações nas redes sociais oficiais:
Facebook.com/mamuteafeira
Instagram.com/mamuteafeira
mamuteafeira@gmail.com

PROGRAMAÇÃO:

GERAL – 11:00 às 20:00

– Feira Gráfica-Literária-Autoral-Artesanal: Mais de 120 artistas estão expondo na Mamute #4
– Artistas gráficos e criativos: o público encontrará artistas diversos e suas produções, além de editoras e livrarias. Todos experimentos gráficos, livros e produtos artesanais à venda, por preços variados, para todos os gostos e bolsos.
– Flash de Tatuagem: 4 (quatro) tatuadores estarão prontos para criar ne pele do público algumas de suas experiências gráficas.
– Mamutinha: expositores de artes gráficas e literatura para crianças, junto de uma programação de ateliê livre, oficinas, mural coletivo e contação de histórias.
– Mostras de Processo e Live Painting: artistas e artesãos irão produzir suas obras ao vivo para o público, compartilhando técnicas e processo.
– Música: das 11h às 20h, com discotecagem e shows com Janine Mathias e Notívagos.
– O que vou encontrar na feira?
– Gravuras; Ilustrações; Cartazes; Postais; Adesivos; Pôsteres; Papelaria; Encardenação; Livros; HQ´s; Zines; Fotografias; Tatuagem; Moda Autoral; Cerâmica; Arte Gráfica para Crianças; entre outras experimentações de formatos e suportes.
– O que vou encontrar no evento?
– Feira Gráfica e Criativa; Feira de Livros; Discotecagem; Show Musical; Chopp Artesanal; Gastronomia Afetiva.